Resiliência num grupo de adolescentes de risco de uma escola secundária do grande Porto

Maria Raul Lobo Xavier, Mariana Andresen Abreu

Resultado de pesquisarevisão de pares

6 Transferências (Pure)

Resumo

A relação entre factores de risco (acontecimentos de vida stressantes) nas vidas dos adolescentes, e a presença de factores de protecção faz com que alunos considerados de risco evidenciem resiliência ou vulnerabilidade em contextos como a escola. O presente artigo procura evidenciar a forma como os adolescentes se adaptam ou ultrapassam estas circunstâncias adversas, ao conseguirem “bons resultados apesar das sérias ameaças ao desenvolvimento ou à adaptação” (Masten, 2001, p.228). A escola assume-se como um dos contextos mais importantes de desenvolvimento, socialização e de promoção de resiliência nos adolescentes. A forma como actuam os factores e processos protectores presentes nas suas vidas tendo em conta os riscos e factores de risco, ajudam a compreender os comportamentos resilientes ou não-resilientes demonstrados pelos adolescentes. A utilização de uma entrevista semi-estruturada a uma amostra de dezasseis alunos adolescentes (N=16), com uma média de idades de 13,81 anos, permitiu obter um “fotografia bem detalhada” naquele período das suas vidas relativamente a ele próprio, ao contexto escola (por exemplo, a relação com grupo pares, dificuldades na escola).
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)179-199
Número de páginas21
RevistaCadernos de Pedagogia Social
Número de emissão2
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jan. 2008

Citação