Sistema e variação: quão sistemático pode ser o sistema linguístico num modelo baseado no uso?

Resultado de pesquisarevisão de pares

8 Transferências (Pure)

Resumo

Argumentaremos que um modelo baseado no uso implica uma conceção de língua como sistema dinâmico complexo, que correlaciona os aspetos sociais e os aspetos cognitivos. Descritivamente, um modelo baseado no uso implica a inclusão da variação intralinguística no estudo de qualquer expressão e a sua correlação com o significado conceptual. Metodologicamente, um modelo
baseado no uso implica a implementação de métodos empíricos multivariacionais, como os métodos socioletométricos. No plano metateórico, um modelo baseado no uso implica uma des-sistematização do sistema linguístico e a construção de um modelo multifatorial de gramática. Mostraremos como a Sociolinguística Cognitiva, uma extensão emergente da Linguística Cognitiva como modelo orientado para o significado e para o uso, consegue dar conta destas implicações. Como ilustração, apresentaremos os resultados da nossa investigação sociocognitiva e socioletométrica sobre a divergência entre o português europeu e brasileiro.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)15-32
RevistaRevista LinguíStica
Volume8
Número de emissão1
Estado da publicaçãoPublicado - 2012

Keywords

  • Modelo baseado no uso
  • Sistema dinâmico complexo
  • Sociolinguística cognitiva
  • Variação linguística
  • Português europeu e brasileiro

Citação