Teologia ecuménica: questões e tarefas de ordem metodológica e hermenêutica

José Eduardo Borges de Pinho

Resultado de pesquisarevisão de pares

12 Transferências (Pure)

Resumo

O presente texto procura aprofundar a dimensão ecuménica da teologia, que deve estar presente em todo o trabalho teológico, mas que se concentra também de modo particular em determinadas questões temáticas. “Teologia ecuménica” apresenta- se assim como um modo de reflectir teologicamente que, enquadrado embora basicamente numa metodologia sistemática, contém elementos específicos de ordem hermenêutica, metodológica e espiritual. O artigo começa por uma breve análise – numa perspectiva histórica diacrónica, mas sem esquecer a sua pertinência actual – de formas de relacionamento e de discussão confessionais que precederam o que hoje designamos por “teologia ecuménica”. Num segundo momento, apontam-se algumas das principais características que, em termos de atitude espiritual, de opções metodológicas e de horizonte hermenêutico, identificam uma teologia ecuménica. Daí decorre – terceiro ponto – uma reflexão específica sobre a teologia ecuménica como hermenêutica da unidade na diversidade. Esta tarefa hermenêutica, que não abrange apenas textos, mas todo um conjunto de elementos vivenciais de transmissão e testemunho da fé, caracteriza-se por duas orientações fundamentais: uma hermenêutica da unidade na busca da verdade e uma hermenêutica capaz de compreender e integrar a diferença. Enquanto caso singular de concretização de uma teologia ecuménica e, simultaneamente, como lugar de verificação das suas dificuldades em termos metodológicos e hermenêuticos aborda-se de seguida, num quarto ponto, a tarefa da recepção dos resultados do diálogo teológico. Neste contexto salientam-se, por um lado, a importância da recepção, suas condições e exigências, e apontam-se, por outro lado, algumas tarefas prioritárias de reflexão teológica em ordem ao futuro. Daqui decorre – a concluir – a análise da questão nuclear do objectivo da unidade a realizar. Emerge aqui a urgência de se clarificar no diálogo ecuménico as exigências indeclináveis da unidade a realizar, o que não pode acontecer sem uma consideração mais profunda e mais aberta da questão da presença da Igreja de Cristo na história.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)67-99
Número de páginas33
RevistaDidaskalia
Volume39
Número de emissão2
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jun. 2009

Citação