Epidemiologia dos traumatismos crânio-encefálicos em Portugal

Maria Emília Santos, Liliana de Sousa, Alexandre Castro-Caldas

Resultado de pesquisarevisão de pares

16 Citações (Scopus)

Resumo

A epidemiologia dos traumatismos crânio-encefálicos foi analisada em Portugal a partir do número de casos de admissão hospitalar e de mortalidade total, em 1994, 1996 e 1997. Observou--se uma taxa de incidência de 151/100 000 em 1994 e de 137/100 000, em 1996 e 1997. Embora nos últimos dois anos estudados a incidência fosse a mesma, a mortalidade diminuiu; a taxa global de mortalidade, em 1997, foi de 17/100 000, com valores mais elevados entre os 20 e os 29 anos (20/100 000) e depois dos 80 anos (54/100 000).Aproximadamente 95% das mortes aconteceram fora do hospital e 5% após admissão hospitalar. A incidência foi mais elevada nos homens do que nas mulheres: 1.8:1 nas admissões hospitalares e 3.4:1 nos casos de morte. Esta última diferença é uma constante ao longo da vida mas mais marcada entre os 20 e os 39 anos de idade.
Título traduzido da contribuiçãoThe epidemiology of traumatic brain injury in Portugal
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)71-76
Número de páginas6
RevistaActa Medica Portuguesa
Volume16
Número de emissão2
Estado da publicaçãoPublished - 2003
Publicado externamenteSim

Keywords

  • Epidemiologia
  • Traumatismo crânio-encefálico,
  • Mortalidade
  • Incidência

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Epidemiologia dos traumatismos crânio-encefálicos em Portugal“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação