A justificação pela fé e pelas obras no humanismo renascentista português de João de Barros e Diogo de Sá

Samuel Fernando Rodrigues Dimas*

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

1 Citação (Scopus)
1 Transferências (Pure)

Resumo

Este estudo encerra uma análise sobre o pensamento humanista dos autores portugueses João de Barros e Diogo de Sá em relação ao problema da justificação pela fé e pelas obras no contexto da Contra-Reforma e da doutrina estabelecida pelo Concílio de Trento. De forma distinta de Lutero que defendia a fatalidade do pecado original e a fé como forma exclusiva de salvação, estes pensadores salientam a importância da colaboração humana pelo exercício do livre arbítrio no mistério da redenção, que terá como fim, não apenas a remissão dos pecados, mas a participação na glória da vida imortal pelo mistério da ressurreição.
Título traduzido da contribuiçãoThe justification by faith and works in the Portuguese Renaissance humanism of João de Barros and Diogo de Sá
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)367-387
Número de páginas21
RevistaCauriensia
Volume12
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 2017

Keywords

  • Pecado original
  • Justificação
  • Esperança
  • Caridade
  • Ressurreição
  • Imortalidade

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “A justificação pela fé e pelas obras no humanismo renascentista português de João de Barros e Diogo de Sá“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação