Um debate sobre o conhecimento de Deus: composição e Interpretação de Jb 32-37

Resultado de pesquisarevisão de pares

Resumo

Os chamados «discursos de Elihu» (Jb 32–37) irrompem no decorrer do livro de Job, como uma voz, aparentemente desconhecida e inesperada, que pretende retomar as linhas principais do debate iniciado por Job e pelos amigos. A surpresa e a complexidade filológica destes discursos atraíram sobre si inúmeras reacções críticas, enunciadas neste artigo como perguntas dominantes feitas a Jb 32–37. É no limite e na oportunidade destas perguntas que o projecto e a resposta de uma Análise Retórica Bíblica adquire uma relevância singular, surpreendentemente delineada em novos horizontes de compreensão e de questionamento que se afiançam mais próximos do texto bíblico e do seu autor. O passo determinante focaliza-se no estudo da composição do texto, como o fundamento inequívoco de uma compreensão e interpretação objectiva e coerente. Esta interpretação aparece validada por uma observação crítica, onde se sustenta a unidade evidente dos «discursos de Elihu» e a energia de uma linguagem sapiencial; os alicerces de figuração de um autor e da direcção de uma mensagem, geradores de uma fecundidade que caminha de mãos dadas com a reabertura de um novo debate.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)67-83
Número de páginas17
RevistaDidaskalia
Volume36
Número de emissão1
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 1 jan 2006

Citação