Um São Paulo em chave gnóstico-saudosista: Teixeira de Pascoaes

Jorge Coutinho

Resultado de pesquisarevisão de pares

5 Transferências (Pure)

Resumo

Em 1934, Teixeira de Pascoaes (1877-1952) deu à luz uma biografia de S. Paulo, que teve larga difusão. Nela faz uma interpretação da figura e da obra do Apóstolo como verdadeiro fundador do cristianismo. Este, porém, é por ele interpretado em chave gnóstica, no interior e em dependência da sua poética filosofia da saudade: o Cristo do verdadeiro cristianismo vive (apenas) como personificação mítica do sentimento da queda de Deus no mundo material, em sua reacção positiva de elevação espiritualista ou de esperança. E esta é a via da redenção ou salvação, enquanto que por ela se dá a reintegração do homem e do mundo no divino originário de ambos. Paulo foi aquele que primeiro compreendeu Cristo deste modo e o transformou em objecto de crença para o mundo.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)113-127
Número de páginas15
RevistaDidaskalia
Volume38
Número de emissão1
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jan. 2008

Citação