Resumo

“Nenhum homem pisa nunca o mesmo rio duas vezes, pois não é o mesmo rio e não é o mesmo homem.”
— Heráclito

Vértice parte da premissa de que na natureza tudo flui e de que nada perdura eternamente no espaço e no tempo do mundo histórico que habitamos. Persiste apenas uma transformação contínua, um incessante fluir, um constante movimento e mudança, onde um elemento substitui o outro. Hoje estamos aqui; sabemos contudo que “amanhã” não estaremos, mas que “outros” hão de estar por nós.

A narrativa é temporalmente organizada à volta da rotação da Terra e apresenta elementos típicos da flora e fauna da Península Ibérica, que convidam a admirar a beleza da natureza e a sua diversidade. Através de um olhar íntimo e contemplativo, pretende-se incitar o espectador a refletir sobre o contínuo e inevitável fluir da vida.

Nota: Sendo a curta-metragem Vértice uma produção recente da Fronteira Filmes, esta não pode ser posta online até acabar o circuito de festivais.
Idioma originalEnglish
Meios de saídaFilm
Estado da publicaçãoPublicado - 2013

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Vértice“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação