Quando a neve é geral: o papel da percepção na escrita lírica. Uma leitura de Joyce

Resultado de pesquisarevisão de pares

Resumo

Descartando as caracterizações da escrita lírica, que a identificam, formalisticamente, pela sua densidade retórica e ambiguidade semântica, ou, do ponto de vista dos conteúdos, pela expressão emocionalista e confessionalista da experiência interior do sujeito, é aqui apresentada a ideia que a figuralidade lírica é uma forma de discurso em que a experiência perceptiva se torna expressão interpretativa da experiência interior. Ao articular simbolicamente os conteúdos intencionais por meio dos conteúdos perceptivos, a figuralidade lírica especializa-se, mas não se identifica com o género literário da poesia lírica, estando presente também no uso comum da linguagem e na prosa. Uma leitura da página final do conto joyciano «The Dead», desenvolve e testa esta hipótese de trabalho, reconstruindo a extraordinária arquitectura figural em que os dados perceptivos registados são organizados neste trecho como epifania lírica do sentido do conto.
Título traduzido da contribuiçãoWhen the snow is general: the role of perception in lyrical writing. Reading Joyce
Idioma originalPortuguese
RevistaForma de Vida
Volume9
Estado da publicaçãoPublished - jan 2017
Publicado externamenteSim

Keywords

  • Lírica
  • Figura
  • Percepção
  • Joyce
  • «The Dead»

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Quando a neve é geral: o papel da percepção na escrita lírica. Uma leitura de Joyce“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação