A autoavaliação na aula de Espanhol Língua Estrangeira
: a coavaliação como processo de autorregulação na aprendizagem do aluno

  • Marina Fernandes Pinheiro (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Num mundo em constante mudança, no qual o conhecimento escolar/universitário já não é suficiente, a aprendizagem de línguas estrangeiras assume-se cada vez mais como um fator de distinção.Por isso, é necessário repensar o ensino das línguas e adaptá-lo às novas funções exercidas quer pelo professor, quer pelo aluno: agentes que já não possuem um papel meramente passivo, no caso do primeiro, e de facilitador da aprendizagem, no caso do segundo.O aluno passa a ter um papel preponderante no seu processo de aprendizagem, umavez que este não alcança simplesmente um determinado nível de proficiência, mas que simuma autonomia na língua estrangeira. A autoavaliação no ensino sempre foi encarada com determinada leveza e insignificância pelos intervenientes em geral. No entanto, no ensino de uma língua estrangeira como em outras áreas da vida, este processo assume um caráter cabal para o desenvolvimento do docente enquanto profissional e do aluno, enquanto aprendiz de uma nova língua,permitindo assim que ambas as partes usufruam das aprendizagens com agradabilidade e sucesso. Neste sentido, a coavaliação no ensino de Espanhol Língua Estrangeira permite a autorregulação da aprendizagem, a autonomia referida e o seu consequente sucesso.
Data do prémio6 jul 2021
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorInmaculada Concepción Báez-Montero (Supervisor)

Keywords

  • Autoavaliação
  • Coavaliação
  • Língua
  • Autonomia
  • Ensino

Designação

  • Mestrado em Ensino do Português no 3º Ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário e de Espanhol nos Ensinos Básico e Secundário

Citação

'