A criação de valor no controlo de rede
: o caso do porto de Aveiro

  • José Carlos Simões Lopes (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

A criação de valor é o motivo central para o surgimento de colaborações interorganizacionais, como é o caso das redes. As redes envolvem várias organizações que estabelecem relações interorganizacionais, nomeadamente, relações bilaterais (de um para um) e relações multilaterais (de um para vários), em prole da criação de valor para a rede. Acontece que estas organizações nem sempre agem coletivamente na persecução deste objetivo. Por isso, em redes mistas, existe um coordenador responsável pelo alcance dos objetivos da rede. Na tentativa de maximizar a criação de valor para a rede, o coordenador utiliza mecanismos de controlo de gestão bilaterais e coletivos. Os objetivos deste estudo são: (i) avaliar as condições em que a gestão com base no valor por parte do coordenador pode estimular a performance das restantes organizações; (ii) perceber como a estrutura de governação da rede pode influenciar o aproveitamento das complementaridades entre as organizações; (iii) identificar os fatores que influenciam as motivações individuais para cooperar; e (iv) explorar as relações de substituibilidade e complementaridade entre mecanismos de controlo de gestão bilaterais e coletivos. Com esse propósito, este estudo combina conceitos relevantes da literatura precedente para formular uma sequência lógica de análise das condições associadas à gestão com base no valor, da visão relacional, da economia de custos de transação, das estruturas de governação, da teoria da contingência e de modelos teóricos que relacionam mecanismos de controlo de gestão coletivos com bilaterais. Avalia também esses conceitos através de um caso de estudo no Porto de Aveiro. Com este estudo, conclui-se que: (i) a gestão com base no valor por parte de um coordenador tende a estimular a performance das restantes organizações quando os sistemas de controlo de gestão das mesmas estão alinhados com o do coordenador e ambos priorizam a criação de valor; (ii) tanto uma estrutura descentralizada como centralizada podem, sob determinadas circunstâncias, enaltecer o aproveitamento das complementaridades entre os intervenientes ; (iii) a motivação para cooperar depende positivamente das expectativas de melhoria de performance e criação de valor individual; e que (iv) os mecanismos de controlo de gestão coletivos podem ser quer substitutos quer complementares dos bilaterais.
Data do prémio14 jul. 2023
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorLuís Marques (Supervisor)

Keywords

  • Criação de valor
  • Complementaridade
  • Colaboração interorganizacional
  • Relações interorganizacionais
  • Mecanismos de controlo de gestão
  • Medidas de performance
  • Redes
  • Estruturas de governação
  • Portos

Designação

  • Mestrado em Gestão

Citação

'