A estigmatização dos problemas de saúde mental no contexto policial português

  • Sofia Dias Machado (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

A cultura policial possui valores que perpetuam a estigmatização dos problemas de saúde mental e, consequentemente inibem os profissionais de revelar o mal-estar psicológico, propiciando a adoção de estratégias de coping desadaptativas. Atendendo à escassez de literatura sobre estas temáticas em Portugal, a presente investigação visou caracterizar a estigmatização dos problemas de saúde mental no contexto da Polícia de Segurança Pública. Adotando um desenho correlacional, procurou-se compreender como se relacionam as seguintes variáveis: sintomatologia psicopatológica; estigmatização dos problemas de saúde mental; estratégias de coping; tempo de serviço. Os resultados evidenciaram que a intensidade do mal-estar prejudica a identificação de sintomatologia, assim como o reconhecimento da importância de procurar ajuda formal. Indicam ainda que mais anos de serviço se associam a uma diminuição na adoção de estratégias de coping adaptativas. Por outro lado, o estigma sobre os problemas de saúde mental pode propiciar a adoção de estratégias de coping desadaptativas e tal é agravado com o tempo de serviço. Assim, é importante desenvolver e implementar programas de prevenção que promovam a desconstrução do estigma acerca dos problemas de saúde mental, bem como estimulem estratégias de coping adequadas para uma gestão mais eficaz dos stressores, refletindo-se no bem-estar e performance dos profissionais.
Data do prémio12 jul 2022
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorPatrícia Oliveira-Silva (Supervisor) & Diana Cristina Rodrigues Pereira (Co-Orientador)

Keywords

  • Estratégias de coping
  • Estigma
  • Saúde mental
  • Polícia de Segurança Pública

Designação

  • Mestrado em Psicologia

Citação

'