A influência das funções executivas, da memória, da velocidade de processamento e do sexo, na capacidade funcional, no envelhecimento saudável

  • Maria Teresa Justo de Albuquerque (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Introdução: A capacidade funcional permite que o indivíduo realize as atividades de vida diária, de forma independente e autónoma, na sociedade. As funções executivas, a memóriae a velocidade de processamento podem influenciar a capacidade de os indivíduospermanecerem, independentes, nas atividades de vida diária. A realização destasatividades, pode também variar, em função do sexo. Pretendeu-se explorar a relação entreas funções executivas, a memória, a velocidade de processamento e a capacidade funcional,no envelhecimento saudável, averiguar se capacidade funcional varia em função do sexo eestudar a aplicabilidade da UPSA-2, na avaliação da capacidade funcional, na populaçãosaudável, com idade igual ou superior a 60 anos.Metodologia: A amostra de conveniência deste estudo transversal foi constituída por 65 idosos, cognitivamente saudáveis, com idades compreendidas entre os 60 e os 92 anos. Asfunções executivas foram avaliadas através do TMT (B-A/A), do Stroop e da FluênciaVerbal Fonológica, a memória através da Memória Lógica II e a velocidade deprocessamento através do TMT-A. A capacidade funcional foi avaliada através da UPSA2. Foram realizadas análises de correlação, regressões lineares e testes de comparação demédias.Resultados: Verificou-se uma relação significativa entre o desempenho funcional e amemória episódica, a velocidade de processamento e as funções executivas,nomeadamente, a fluência verbal fonológica, evidenciando, poder preditivo, na capacidadefuncional. A memória revelou-se o maior preditor significativo da capacidade funcional,comparativamente aos restantes domínios cognitivos, explicando 55.8% da variação nodesempenho da UPSA-2. Não se verificaram diferenças significativas entre sexos, no desempenho total da UPSA-2.Conclusão: Este estudo permite elucidar a importância dos mecanismos cognitivos para a realização das atividades de vida diária, na sua integridade, fornecendo evidências para a importância da adoção de programas de estimulação cognitiva, focados na prevenção do declínio funcional. Faculta, ainda, uma prova de conceito com suporte para a viabilidade e utilidade clínica da UPSA-2, na avaliação da capacidade funcional, na população idosa
Data do prémio21 dez 2020
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorFilipa Ribeiro (Supervisor)

Keywords

  • Envelhecimento saudável
  • Capacidade funcional
  • Funções executivas
  • Memória
  • Velocidade de processamento
  • Sexo
  • UPSA

Designação

  • Mestrado em Neuropsicologia

Citação

'