A pessoa portadora de ostomia
: uma perspetiva sobre a qualidade de vida

  • Palmira Moreira Barbosa Peixoto (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

O conhecimento da perceção da pessoa portadora de ostomia de eliminação sobre a sua qualidade de vida constitui o objetivo central desta investigação. Como objetivos específicos definimos: identificar as características sociodemográficas e clínicas das pessoas portadoras de ostomia de eliminação; descrever as qualidades métricas do Estoma QdV; e identificar o nível atribuído pelas pessoas, portadoras de ostomia de eliminação, à sua qualidade de vida de acordo com o Estoma QdV. Em termos metodológicos, desenvolvemos um estudo exploratório/descritivo, de carácter transversal e de abordagem quantitativa, junto duma amostra de 51 indivíduos portadores de uma ostomia de eliminação a frequentar a Consulta de Estomaterapia, dum Hospital Central da Zona Norte, selecionada de uma forma não probabilística por conveniência, a quem foi aplicada a Escala do Estoma QdV. A maioria dos indivíduos é do sexo masculino (66,7%), com uma média de idades de 64,8 anos e com um desvio padrão de 9,7 anos, casados (76,5 %), reformados (66,7 %) e detentores do ensino básico (56,9%). De entre os resultados obtidos salientamos: - A maioria da amostra (94,1%) refere a doença a oncológica como causa da cirurgia; Apresentam colostomia (68,6%), com estoma definitivo (78,4%), dos quais 70,6% utilizam um sistema de duas peças; - A totalidade da amostra não teve contacto com qualquer associação de doentes ostomizados. 68,6% dos sujeitos teve o seu primeiro contacto com a sua enfermeira estomaterapeuta, antes da cirurgia; - O Estoma QdV apresenta um alpha de Cronback de 0,89 e os 20 itens organizam-se em quatro fatores que explicam 60,5% da variância total; - No Fator I, associado às relações com a família e amigos mais próximos, a maioria da amostra mostra discordância com os itens correspondentes; - No Fator II, relacionado com alterações emocionais e de sono, a maioria dos indivíduos apresenta concordância nos itens relacionados com as alterações emocionais e discordância com as alterações de sono; - No Fator III, relacionado com a autoestima e autoimagem, os inquiridos demonstram discordância com os itens correspondentes; - No Fator IV, associado aos aspetos de insegurança com o dispositivo de ostomia, a maioria da amostra refere concordância relativamente à maior parte das questões; - A maioria da amostra em estudo (64,7%) considera a sua qualidade de vida, como “Boa”, antes do aparecimento da sua doença. Facto que se confirma pela pontuação média (58) na escala do Estoma QdV, referente à fase pós-aparecimento da doença. Os resultados realçam a importância da intervenção dos enfermeiros estomaterapeutas, junto da pessoa portadora de ostomia e família, desde a decisão clínica da necessidade da construção duma ostomia até às consultas de enfermagem de follow-up, após alta hospitalar.
Data do prémio11 fev 2014
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorBeatriz Araújo (Supervisor) & Paulo Alves (Co-Orientador)

Keywords

  • Ostomia
  • Qualidade de vida
  • Pessoa portadora de ostomia
  • Enfermagem
  • Estomaterapia

Designação

  • Mestrado em Feridas e Viabilidade Tecidular

Citação

'