Adesão à segunda dose da vacinação covid-19
: um relato de intervenção de enfermagem

  • Vera Diana da Silva Guedes (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

O relatório apresentado foi realizado no âmbito do Curso de Mestrado em Enfermagem, com Especialização em Enfermagem de Saúde Comunitária e de Saúde Pública (EESCSP), do Instituto de Ciências da Saúde, da Universidade Católica Portuguesa. Pretende-se descrever, analisar e refletir, por um lado, sobre as atividades desenvolvidas e as competências adquiridas no âmbito do estágio realizado numa unidade de saúde pública da região norte de Portugal, com foco na atuação sobre a adesão à segunda dose da vacinação contra a COVID-19 e, por outro, sobre o papel da enfermagem na promoção dessa adesão. Perante um quadro pandémico provocado pela doença COVID-19 e havendo disponível uma nova vacina capaz de minimizar as taxas de morbimortalidade e proteger a sustentabilidade do SNS, revelou-se de extrema importância promover a adesão à vacinação. A vacinação apresenta-se como uma das maiores conquistas da saúde pública, e Portugal apresentou desde sempre uma forte cultura vacinal. Como fator dificultador e com impacto negativo na adesão, encontra-se identificada a pouca informação junto dos utentes sobre uma nova vacina, criada e disponibilizada de uma forma nunca antes verificada. De acordo com a verificação de registos de saúde, na investigação-ação baseada no planeamento em saúde e através da estatística descritiva, procedeu-se à identificação de 503 utentes que não compareceram à segunda dose de vacinação. Com a intervenção prevista, realizou-se uma análise individual dos casos, percebendo as causas da não comparência e, deste modo, intervir de forma dirigida em cada uma das situações. Dos 428 utentes elegíveis 109 responderam ao questionário realizado via telefone. Desses: 15.6% mencionaram ter dúvidas quanto à importância da vacinação; 29% não aderiu por medo e 29.9% por contraindicação. Dos que não aderiram: 66.7% não aderiu por crenças, referindo não acreditar na doença e 55.6% da população não compareceu por acessibilidade comprometida. A observação dos diagnósticos de enfermagem referentes à adesão à vacinação, foi também realizada nesta população, sendo que dos 428 utentes com a segunda dose da vacina em atraso, 332 tinham o diagnóstico de adesão e 49 o de não adesão. A perceção de que as dificuldades estariam relacionadas com necessidades de promoção de literacia em saúde, permitiu a construção de uma árvore de apoio à decisão, de forma a orientar o enfermeiro na educação para a saúde de acordo com o foco comprometido. Foi possível criar um instrumento de sistematização de informação, com resultados dinâmicos, que podem nortear a atuação dos enfermeiros nas suas diversas intervenções. Os resultados foram analisados e comparados antes e depois da intervenção, de modo a perceber os ganhos em saúde. Pelo desgaste e foco na pandemia, a divulgação dos resultados do trabalho realizado durante a investigação foi repensada e melhorada. A partilha de conhecimento passou pela criação de uma newsletter digital, com pequenas formações realizadas em vídeo e difundidas pelas unidades funcionais do ACeS. No âmbito do desenvolvimento das várias competências dos EESCSP, foram também aprimoradas competências de mestre, procurando trazer novas formas de comunicação, interação e partilha, que possam alavancar a vontade por um melhor Saber
Data do prémio29 jun 2022
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorJoão Neves-Amado (Supervisor)

Keywords

  • Vacinação
  • COVID-19
  • Enfermagem
  • Adesão
  • Saúde pública

Designação

  • Mestrado em Enfermagem

Citação

'