Agostinho, Pastor e Pregador

  • Luís António Silva Fernandes (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

A nossa dissertação pretende abordar Agostinho na sua atividade mais persistentee quase quotidiana: «a pregação». O pastor de Hipona, ao longo dos anos da sua vida de presbítero e bispo, foi e é um modelo de pregador. Propomo-nos verificar porquê e como, focando-nos na leitura dos seus “Sermões ao Povo”.A partir da leitura mais atenta de alguns Sermões e de outros textos de Agostinho, desenvolveremos o nosso trabalho em três capítulos. No primeiro, falaremos da vida do Santo de Hipona, destacando o processo da sua conversão e os principais confrontos com pelagianos, maniqueus e donatismo; a sua ação pastoral na Igreja local, africana e universal, o papel do bispo ou do pastor; o lugar da Sagrada Escritura na forma como ele assumiu e percebeu os seus encargos episcopais. No segundo capítulo falaremos dos sermões enquanto tais. Onde a Sagrada Escritura ocupa um lugar central, particularmente no contexto da liturgia. Daremos especial atenção aos sábios conselhos propostos aos pastores, nas suas tarefas da pregação, a partir de sua obra De doctrina christiana, com o intuito de ensinar, convencer e converter. Por último, o nosso terceiro, falaremos de Agostinho como modelo de pastor, prestando atenção ao seu agir pastoral no dia-dia, na pregação, na liturgia e no cuidado aos mais necessitados.
Data do prémio9 dez. 2022
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorIsidro Lamelas (Supervisor)

Keywords

  • Agostinho
  • Pregação
  • Sermões
  • Pastor
  • Servo
  • Pastoral
  • Igreja
  • Liturgia

Designação

  • Mestrado Integrado em Teologia

Citação

'