Amor como comunicação
: uma aproximação fenomenológica ao fenómeno amor

  • Maria Filipa Moreira de Vasconcelos (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Nesta dissertação apresentamos uma aproximação fenomenológica ao fenómeno amor. Aplicámos o método fenomenológico desenvolvido por Edmund Husserl, estendido por Martin Heidegger e sintetizado por Herbert Spiegelberg, numa proposta de Introna, Ilharco e Faÿ (2008), ao fenómeno amor de forma a compreendermos a essência deste, aquilo que está na nossa consciência e que nos permite identificar este fenómeno, isto é, a amorzisse do amor. Procurámos com esta investigação responder à pergunta ‘O que é o amor?’, partindo da ideia que amor é comunicação, ou seja, falar de amor é falar de comunicação, de interacção, pois quando pensamos, escrevemos ou falamos de amor estamos inevitavelmente e por vezes inconscientemente a referirmo-nos a actos comunicacionais. Desta forma, chegámos à compreensão deste acto comunicacional que é o amor de uma forma tão essencial quanto nos foi possível. Porém, o nosso objectivo não foi explicar este fenómeno nem chegar a um seu entendimento final e estanque, mas sim explorar contornos da identidade do amor e chegar a um significado primeiro e profundo. Concluímos assim que o amor é uma relação de grande envolvimento entre duas pessoas que nutrem uma pela outra um sentimento positivo e forte, de natureza incondicional, cuja dimensão nos é desconhecida na sua transcendência e que se baseia na capacidade que as duas pessoas têm de o sentir. Além disso, temos que o significado oculto do amor é a sua natureza transcendente em relação ao ser humano.
Data do prémioset. 2011
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorFernando Ilharco (Supervisor)

Keywords

  • Amor
  • Amorzisse
  • Essência
  • Relação
  • Transcendência
  • Fenomenologia
  • Método Fenomenológico
  • Heidegger
  • Husserl

Designação

  • Mestrado em Ciências da Comunicação

Citação

'