Bases terminológicas para a intervenção linguística normalizadora em línguas gestuais, na área da física

  • Taynã Araujo Naves

Tese do aluno

Resumo

O presente trabalho possui uma orientação cognitivista. Teve como objeto de estudo as neologias de Física em línguas gestuais, o qual fora levantado em três corpora construídos especialmente para este fim, e analisado por duas aproximações investigativas complementares: pela terminologia e pela linguística. A frente terminológica, fundamentado principalmente pela Teoria Comunicativa da Terminologia (Cabré 1998b, 2002a, 2003), focou nas metodologias terminológicas dos trabalhos de criação, prescrição e registo de neologias de Física em línguas gestuais, cujo [1] corpus foi composto por publicações científicas que descreveram a metodologia utilizada em tais processos. A frente linguística, fundamentada em Taub (2000) e em Cuxac (1993, 1999, 2003; Cuxac & Sallandre, 2002, 2007), analisou a estrutura icónica dos objetos de estudo, buscando identificar qual era o referente para o qual estabelecia relações de similaridades analógicas. Para tal construiu-se uma metodologia para verificação qualitativa das relações icónicas entre o “referente-icónico” e o “referente-conceitual, os quais foram concebidos como duas instâncias semióticas, e tomadas como ferramentas analíticas qualitativas para identificar/avaliar a ambiguidade icónico-conceitual de gestos-termo. Esta etapa investigativa concentrou-se tanto no [2] o corpus gestual, constituída pelas neologias reportadas por cada item do corpus terminológico; quanto nos [3] corpora de referência conceitual, os quais foram constituídos por manuais didáticos de Física Os resultados mostraram que um trabalho terminológico possuirá problemas terminológicos nos seus produtos se: [a] não for fundamentado por uma teoria terminológica, [b] nem realizado por uma equipe terminologicamente competente (cf. Cabré, 1999), [c] nem possuir uma consistente documentação dos materiais de trabalho, [d] e nem for realizado sob uma metodologia terminológica adequada ao tipo de trabalho pretendido. E ainda mostraram que se as premissas supracitadas se confirmarem, além de problemas terminológicos, um trabalho terminológico também possuirá problemas linguísticos. As discussões teóricas referentes à iconicidade indicam a possibilidade de articular o modelo de Taub (op. cit.) com a semiologia de Cuxac (op. cit.), que revelaria a iconicidade como um fenómeno da linguagem (le langage) que opera i) semioticamente, ii) cognitivamente e iii) linguisticamente, onde neste último atua nos domínios da língua (la langue) e da fala (la parole). Como resultado secundário, derivado das considerações adicionais, propomos uma metodologia sistematizada de criação neológica de gestos-termo icónicos e apresentamos, ao final, alguns conselhos de como realizar um trabalho terminológico de criação neológica, em línguas gestuais, no domínio das disciplinas escolares, de forma minimamente consistente.
Data do prémio25 set 2019
Idioma originalPortuguese
SupervisorAna Mineiro (Supervisor) & Celda Maria Gonçalves Morgado (Supervisor)

Designação

  • Doutoramento em Ciências da Cognição e da Linguagem

Citação

'