Becoming a purpose-driven organization
: why and how to transition

  • Victoria Charlotte Adelaide Pouilleau (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Dada a emergência de reais problemáticas sociais e ambientais, as empresas ainda podem pensar em sua legitimidade independentemente de sua contribuição para o mundo?Então, qual responsabilidade deve ser dada aos acionistas? É desse questionamento radical,colocando em jogo os próprios fundamentos do nosso modelo económico, que nasceu o conceito de empresas com propósitos. Mas instalar um propósito dentro de uma empresa requer não apenas uma modificação na comunicação ou no status, mas no funcionamento global de uma empresa. É aqui que as dificuldades podem começar a ameaçar as ações: divergências de visões, falta de envolvimento dos acionistas, dificuldades de convencer, de adaptar o seu modelo económico… Este artigo e a sua problemática surgiram de uma vontade de dar empresas, que desejam fazer a transição para se tornar com propósitos, algumas motivações e diretrizes. Nosso estudo quantitativo, ao coletar e analisar as opiniões dos participantes do final da geração Y e da primeira geração Z, representando o futuro dos consumidores e funcionários, esperamos fazer com que as empresas percebam toda a pertinência que existe para escolher fazer a transição para se tornarem impulsionadas por um propósito a fim de se tornar mais perene e coerente com a forma como a sociedade está evoluindo.
Data do prémio1 fev. 2021
Idioma originalEnglish
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
Supervisor Rui Nuno Tavares de Almeida Moreira da Cruz (Supervisor)

Designação

  • Mestrado em Finanças

Citação

'