Contributo para a compreensão da vivência emocional da doença oncológica num serviço de Cuidados Paliativos

  • Sónia Soares de Sousa (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

A doença oncológica apresenta-se como a segunda causa mais frequente de morte em Portugal (morreram 25758 pessoas, em 2012), com tendência a tornar-se a principal causa (INE, 2014). Na fase terminal da doença, os Cuidados Paliativos (CP) surgem com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos doentes e famílias que enfrentam uma doença associada com o risco de vida, através da prevenção e alívio do sofrimento por meio da identificação, avaliação e tratamento da dor e outros problemas físicos, psicossociais e espirituais (OMS, 2002). A intervenção emocional nestas populações em situação de doença avançada, a sua eficácia, os instrumentos de avaliação e investigação, apresentam-se pouco exploradas com apenas algumas décadas de história (Pujol, 2003). Assim o presente estudo pretende ser um contributo para colmatar as lacunas na área da intervenção psicológica na psico-oncologia, partindo das seguintes questões de investigação: “Como descrevem os doentes a vivência emocional da doença oncológica?” e “Que dimensões da doença oncológica estão associadas à vivência emocional?” Foram realizadas 7 entrevistas, orientadas por um guião semiestruturado, no Serviço dos CP a pessoas com doença oncológica avançada. A análise dos dados foi inspirada nos princípios da Grounded theory e recorreu ao Software Nvivo9. Os resultados demonstraram que a doença oncológica apresenta impacto emocional negativo (dependência) e positivo (união do casal) no doente. Ao longo do percurso da doença, podemos verificar variações emocionais de acordo com diferentes fases, desde a procura do diagnóstico até à fase terminal, apresentando vários sentimentos como tristeza, medo e derrota. Verificamos que esta vivência é influenciada por vários elementos, como: o conhecimento da doença, a forma como a enfrenta, a perceção da gravidade, falta de controlo, vulnerabilidade, dependência, expetativas de sobrevivência e significados sobre a doença. Deste modo, a vivência emocional é influenciada pela dimensão física, afetiva/relacional, social, económica, existencial e espiritual.
Data do prémio21 jul. 2014
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorMaria Elisa Pina Tomás Veiga (Supervisor)

Keywords

  • Doença oncógica
  • Cuidados paliativos
  • Vivência emocional
  • Processo terminal
  • Dimensões da doença

Designação

  • Mestrado em Psicologia

Citação

'