Determinação da angulação das paredes axiais dos preparos dentários para coroas totais em clínica simulada

  • Nádia Póvoa da Costa (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Introdução: A reabilitação com prótese fixa dento-suportada, é por vezes preferida à implanto-suportada, por ser passível de representar um procedimento menos traumático, de menor custo e podendo, inclusivamente, corrigir ou proteger os dentes pilares. O sucesso clínico da prótese relaciona-se com a sua capacidade de retenção e permanência na cavidade oral. O preparo dentário é a forma mais adequada de conseguir essa retenção destacando-se a angulação que duas paredes opostas fazem entre si ou ângulo de convergência. Recomenda-se que as paredes apresentem um ângulo de convergência, entre 2° e 6°. Contudo, parece que, na prática, a maioria dos preparos dentários analisados não respeita esse valor devido a dificuldades de acesso, erros de visualização ou aspetos inerentes ao próprio remanescente dentário, como altura, largura, localização e morfologia. Objetivos: Validação de um instrumento que permite ajudar a determinar o ângulo de convergência durante o preparo dentário. Materiais e Métodos: Procedeu-se ao aperfeiçoamento e fabrico de um instrumento para determinação da angulação das paredes de preparos dentários. Efetuaram-se observações de uma amostra de 140 ângulos de convergência mesio-distal e vestíbulo-lingual/palatino de preparos para coroas totais em dentes de Frasaco®, por alunos do 5º ano do Mestrado Integrado em Medicina Dentária da Universidade Católica Portuguesa. As observações foram estatisticamente comparadas com o grupo controlo com ajuda do programa estatístico SPSS® (IBM Corp. Released 2011. IBM SPSS Statistics for Windows, Version 20.0. Armonk, NY: IBM Corp.), utilizando testes de correlação (teste do Coeficiente de Pearson) e de comparação de médias (teste t de Student). O nível de significância considerado foi de 1%. Resultados: Não se verificaram diferenças significativas entre as médias dos valores observados e o grupo controlo com t(139) = - 1,524 e p = 0,130. Por outro lado, foi possível demonstrar que os valores estavam tipicamente correlacionados com 0,30 < r(138) < 0,5 e p < 0,01. Conclusão: Foi possível verificar que os preparos em análise apresentaram ângulos de convergência compatíveis com o descrito na literatura. Nas condições experimentais o instrumento desenvolvido foi considerado válido no auxílio da determinação do ângulo de convergência de preparos dentários, em dentes Frasaco®, em ambiente de clínica simulada.
Data do prémio2013
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorHelder José Martins Esteves (Supervisor)

Keywords

  • Coroas
  • Dente artificial
  • Preparo dentário
  • Prótese parcial fixa
  • Prostodontia

Designação

  • Mestrado em Medicina Dentária

Citação

'