Dotações de enfermagem
: impacto na segurança dos cuidados de saúde

Tese do aluno

Resumo

Introdução – Sabemos que um sistema complexo e dinâmico, como o contexto hospitalar, favorece o risco de ocorrência de eventos adversos. Questionando a segurança dos cuidados que são prestados, abordamos assim um dos principais valores e um domínio central das ciências da enfermagem, a segurança, com vista a contribuir para a sensibilização dos gestores e decisores políticos para as questões relacionadas com as dotações inadequadas das equipas de enfermagem e o seu reflexo na ocorrência de eventos adversos nos doentes. Objetivos - Descrever a dotação de enfermeiros nos serviços de medicina, cirurgia e ortopedia dos hospitais com SCD/E implementado; Identificar o défice de horas de cuidados prestados nos serviços de medicina, cirurgia e ortopedia dos hospitais com SCD/E implementado; Conhecer a associação entre o défice de horas de cuidados de enfermagem e a ocorrência de eventos adversos (complicações respiratórias, de UPP, de ITU, a demora média de internamento e a mortalidade) nos serviços de medicina, cirurgia e ortopedia dos hospitais com SCD/E implementado. Metodologia – O estudo assenta no paradigma quantitativo, exploratório, de uma amostra com 70.241 casos recolhidos nas bases de dados do Sistema de Classificação de Doentes em Enfermagem e Grupos de Diagnósticos Homogéneos, entre 1 de janeiro de 2011 e 31 de dezembro de 2013. No tratamento dos dados foi efetuada análise uni e bivariada dos dados com recurso a medidas de risco, com um intervalo de confiança de 95% e a modelos de regressão logística. Resultados – A amostra foi constituída na sua maioria por mulheres (52,8%), com média etária de 66 anos, internados nas unidades de cirurgia (40,2%), medicina (41,3%) e ortopedia (18,5%). A maioria estava em hospitais da região de saúde de Lisboa e Vale do Tejo (33,8%) e 63,4% em hospitais de nível II, e 71,9% dos doentes tiveram uma admissão urgente. Cerca de metade (50,8%) apresentaram um Indice de Comorbilidades de Charlson superior a 2. A matriz de distribuição dos efetivos da equipa de enfermagem é efetuada numa proporção média de 50% no turno da manhã, 30% no turno da tarde e 20% no turno da noite, independentemente do número de Horas de Cuidados Necessários identificadas. Existe um défice diário superior a duas horas de cuidados por doente e por dia de internamento, atingindo uma média superior a cinquenta horas negativas. Ficou demonstrada a existência de uma associação estatisticamente significativa entre o défice de horas de cuidados e a ocorrência de eventos adversos, sendo esta manifestamente mais elevada sempre que os doentes foram expostos a maior défice de horas de cuidados. Conclusões – Verificámos que o risco de ocorrência de eventos adversos é 2,9 vezes superior quando os doentes são expostos a dotações inadequadas, sendo de 2,4 vezes superior na ocorrência de complicações respiratórias, 3,5 vezes superior na ocorrência de infeções do trato urinário infeções do trato urinário e 3,7 vezes superior na ocorrência de úlceras por pressão e 1,2 vezes no aumento da demora média. Os resultados obtidos mostram uma associação estatisticamente significativa, entre o défice de horas de cuidados e a mortalidade, sendo que os doentes expostos a dotações inadequadas apresentam um risco de mortalidade 2,2 vezes mais elevado que os doentes expostos a dotações adequadas. Concluimos que é essencial a redefinição de estratégias que permitam a melhoria da organização e a adequação dos recursos humanos de enfermagem às necessidades indentificadas nos doentes. Palavras-chave – Eventos adversos; dotações; rácios enfermeiro-doente; segurança; cuidados de enfermagem.
Data do prémio16 jul 2018
Idioma originalPortuguese
SupervisorÉlvio Jesus (Supervisor) & Margarida Maria Vieira (Supervisor)

Keywords

  • Eventos adversos
  • Dotações
  • Rácios enfermeiro-doente
  • Segurança
  • Cuidados de enfermagem

Designação

  • Doutoramento em Enfermagem

Citação

'