Espaço verdes urbanos

  • Rafaela Filipa Lourenço Gouveia Correia da Silva (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

O nosso estudo é composto por uma componente teórica de investigação e por uma componente prática de projecto. Da primeira, consta uma componente teórica que constitui a base de sustentação das fases de projecto, das soluções e das opções apresentadas na proposta final A problemática em estudo, “acessibilidade e a mobilidade para todos”, constitui uma temática elementar a considerar, quando se projecta um espaço urbano para indivíduos com limitações ou para indivíduos sem ela pois, em qualquer momento da vida, qualquer cidadão poderá ser portador de uma mobilidade condicionada e estar dependente de um ambiente concebido para pessoas com necessidades especiais. Há que criar soluções arquitetónicas na cidade, que sejam de inclusão social de todos os cidadãos. Em sequência deste tema geral, surgiu a inclusão do subtema, “espaços verdes urbanos”, que consideramos de supremo valor na vida de todos os cidadãos, mas cujas acessibilidades, muitas vezes, são deficitárias. A vegetação, além de ser essencial para que exista equilíbrio entre a temperatura, a humidade e a poluição do ambiente, também constitui uma forte presença na vida do ser humano e uma grande importância na sua qualidade de vida. Os espaços verdes, nomeadamente, a vegetação arbórea deverá ser vista como sendo mobiliário urbano, podendo engrandecer o interesse a nível de embelezamento e estética dos espaços urbanos. Uma intervenção urbanística e arquitetónica, tendo em conta a envolvente, deverá ser inclusiva e potencializadora da vivência dos indivíduos presentes na sociedade. O nosso estudo prático envolve a realização de um projecto que consiste no desenvolvimento de uma proposta urbana realizada no âmbito do concurso internacional promovido pela Schindler Award, 2012, para uma zona da cidade de Berna, Suíça. No nosso desenho urbano, pretendemos que as barreiras na cidade sejam inexistentes e que todos os espaços possam ser acessíveis a todos, particularmente os espaços verdes, visto serem a união perfeita com a cidade. O edifício, alvo de desenvolvimento (“Drogenanlaufstelle”), pretende ser de apoio aos grupos de risco, logo, a função psicológica é mais decisiva do que parece. O ser humano tem necessidade de se sentir próximo da natureza, com vista ao seu bem-estar físico e psicológico.
Data do prémio2012
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorAntónio da Silva Ferreira de Carvalho (Supervisor) & Gonçalo de Sousa Byrne (Co-Orientador)

Keywords

  • Acessibilidade
  • Mobilidade
  • Espaços verdes
  • Inclusão
  • Berna

Designação

  • Mestrado em Arquitetura

Citação

'