"Existe informação disponível...mas que a sociedade não a tem..."
: conhecimentos e perspetivas de jovens mulheres face à lei n.º 17/2016 sobre procriação medicamente assistida

  • Sara Filipa Sampaio Teixeira (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Em Portugal, a Lei da PMA n.º 17/2016 passou a permitir que todas as mulheres, independentemente do estado civil e da respetiva orientação sexual, tenham a possibilidade de recorrer às técnicas de PMA. O presente estudo tem como objetivo geral explorar os conhecimentos e perspetivas de jovens mulheres face a esta nova legislação. Deste estudo exploratório fazem parte seis participantes, selecionadas através de um processo de amostragem não probabilística por conveniência. Considerando uma metodologia qualitativa, foram realizadas seis entrevistas segundo um guião elaborado para o efeito, sendo os dados posteriormente submetidos a uma análise semi-indutiva com recurso ao software NVivo. Os principais resultados indicam informação limitada da própria, das outras mulheres e da sociedade em geral quanto à Lei da PMA n.º 17/2016 e à possibilidade de maternidade independente. As participantes referem-se a conhecimentos sobre a PMA, dado o avanço científico desta área e o seu recurso por parte de casais heterossexuais. Compreender este fenómeno, no contexto português, possibilita um acompanhamento eficaz te todas as mulheres que desejam ter um filho, considerando um projeto monoparental ou homoparental, permitindo criar as condições necessárias para a sua saúde mental, e que quando a sua decisão reprodutiva integrar a PMA, exista sucesso terapêutico.
Data do prémio13 jul 2022
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorMaria Xavier (Supervisor)

Keywords

  • Procriação medicamente assistida
  • Lei da PMA n.º 17/2016
  • Jovens mulheres
  • Conhecimentos
  • Perspetivas
  • Maternidade independente

Designação

  • Mestrado em Psicologia

Citação

'