Família igualitária
: da subalternização paternal ao declínio da natalidade

Tese do aluno

Resumo

A transição demográfica nos países desenvolvidos, pelos grandes desafios que apresenta à sustentabilidade da ordem social e política, tem ganho crescente relevância na área das políticas públicas. A par da preocupação com as tendências demográficas em curso, as políticas públicas têm seguido a uma preferência programática em favor da autonomização dos indivíduos em relação a laços e dependências familiares, com o especial objectivo de incentivar a emancipação feminina. Nesse sentido, as políticas públicas têm relegado o modelo de “male breadwinner” a um passado superado e indesejável. Utilizando um conceito essencial desta temática, podemos dizer que as políticas públicas têm seguido o rumo da denominada “desfamiliarização” (defamilisation). Considerando que a eficácia das actuais políticas da família de orientação natalista continua por comprovar, comprometendo a renovação demográfica nos países europeus, este estudo pretende questionar e ajudar a clarificar – contando com contributos das políticas públicas, da demografia, da economia da família, da sociologia e da sociobiologia – se taxas de natalidade mais altas poderão estar dependentes da existência de reciprocidade e de diferenciação funcional intrafamiliar.
Data do prémio21 mar. 2023
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorAndré Azevedo Alves (Supervisor) & José Manuel Moreira (Co-Orientador)

Keywords

  • Família
  • Transição demográfica
  • Políticas públicas
  • Parentalidade
  • Igualitarismo
  • Natalidade
  • Especialização

Designação

  • Doutoramento em Ciência Política e Relações Internacionais: Segurança e Defesa

Citação

'