No limiar da heterodoxia
: a apocatástase na obra de Orígenes

  • Santiago Miranda Martins Villalôbos (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Interpretada como uma doutrina cristã triunfalista, a hipótese teológica da Apocatástase esteve, desde a sua génese, sob a sombra da heterodoxia, até ser definitivamente proclamada como um dos grandes capítulos da história das Heresias, no V Concílio Ecuménico Constantinopla II. Teorizada por Orígenes, foi lida e relida à luz da preexistência das almas – seu correlato – e subordinada a uma pretensa obstinação origeniana com o retorno escatológico do cosmos ao seu princípio cronológico. A subtil tensão entre os seus postulados – a inviolabilidade do livre-arbítrio e a real capacidade que a Trindade possui de levar a cumprimento o seu desígnio salvífico universal – ficaria esmagada pela ideia de uma imposição divina sobre a vontade criatural, que acabaria por coartar o génio da sua intuição. Mais que o retorno a um estado protológico, ela proclama a excelência do evento da Redenção, em Cristo, pelo qual a Historia Salutis se desvela como um itinerário gradativo, da imagem à semelhança, culminando com a unidade escatológica que a Apocatástase assegura: Deus, tudo em todos. Palavras-chave: Orígenes, Apocatástase, preexistência, Escatologia, salvação, condenação, inferno, demónio, mal, livre-arbítrio, liberdade, eternidade, heresia, ortodoxia.
Data do prémio13 dez. 2023
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorIsidro Lamelas (Supervisor)

Keywords

  • Orígenes
  • Apocatástase
  • Preexistência
  • Escatologia
  • Salvação
  • Condenação
  • Inferno
  • Demónio
  • Mal
  • Livre-arbítrio
  • Liberdade
  • Eternidade
  • Heresia
  • Ortodoxia

Designação

  • Mestrado Integrado em Teologia

Citação

'