O ensino profissional em Portugal
: 1989-2015 : uma análise das suas dificuldades de afirmação

Tese do aluno

Resumo

Apesar da existência de um aparente reconhecimento consensual em relação às vantagens do ensino profissional em Portugal, esta modalidade de ensino enfrentou – e enfrenta ainda hoje – dificuldades em afirmar-se como uma alternativa digna e de qualidade no contexto geral do sistema de educação. Em Portugal, as primeiras formas de ensino profissional remontam ao século XVIII. Desde então, sucessivos regimes e governos recorreram a esta modalidade de ensino para formar trabalhadores qualificados para os mais diversos sectores de actividade económica, reconhecendo o impacto deste tipo de ensino no desenvolvimento económico do país e no aumento da competitividade internacional da mão-de-obra portuguesa. Houve apenas uma breve excepção a este entendimento generalizado: durante os primeiros dez anos que se seguiram à Revolução de 1974, o ensino profissional foi absolutamente extinto do sistema educativo português. Neste contexto, esta investigação pretende encontrar explicações para a persistência da dificuldade de afirmação desta modalidade de ensino, adoptando como modelo de referência o sistema dual alemão de ensino profissional. Para isso, aplica-se uma metodologia mista com o objectivo de analisar as estratégias e políticas de ensino profissional entre 1989 e 2015, procurando compreender de que forma a natureza das decisões adoptadas, a intervenção dos diferentes actores institucionais e as clivagens ideológicas contribuíram para a posição que o ensino profissional ocupa em Portugal.
Data do prémio23 abr 2021
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorAndré Azevedo Alves (Supervisor) & Eugénia Gambôa (Co-Orientador)

Designação

  • Doutoramento em Ciência Política e Relações Internacionais: Segurança e Defesa

Citação

'