O não-público da RTP2

  • Ana Jorge Alvarinho Ucha Vieira dos Santos (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

A medição das audiências ocupa hoje em dia uma posição determinante na construção do panorama mediático televisivo nacional, mas os estudos de receção sobre também devem ser uma área necessária de atenção, para compreender os significados que atribuem às mensagens a que estão sujeitos. Visto que os estudos de audimetria dão apenas a ilustração das características do público, conhecer as motivações de quem opta por não ser público e quais as suas motivações, torna-se numa temática pertinente.Devido à autonomia da possibilidade de não escolha – sendo em si mesmo uma escolha que se pode caracterizar como um facto social real – este estudo pretende verificar a realidade da autonomia das não escolhas e das motivações de rejeição dos espetadores, aferindo se a soma dessas rejeições individuais origina um não público.A presente proposta de investigação, inserida na área disciplinar dos Estudos de Televisão, em especial nos estudos de audiência e receção, aborda a tipologia sociodemográfica da rejeição de escolhas dos diversos tipos de público, através do conceito de não público. Recorrendo a um grupo de foco, pretende compreender quais os fatores que levam à não visualização dos conteúdos de um canal de operador público (RTP2) face à escolha de conteúdos dos restantes principais canais em sinal aberto.
Data do prémio19 out. 2020
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorEduardo Cintra Torres (Supervisor)

Keywords

  • Televisão
  • Serviço público
  • Escolhas
  • Público
  • Audiências
  • Não público

Designação

  • Mestrado em Ciências da Comunicação

Citação

'