Os enfermeiros e os cuidados aos alienados nos finais do século XIX
: o caso do Hospital de Alienados do Conde de Ferreira

  • Analisa Lia Silva Candeias (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

O século XIX foi profícuo para o desenvolvimento da ciência psiquiátrica, assim como para a evolução da assistência aos alienados. Neste trabalho foi tida em conta a realidade do Hospital de Alienados do Conde Ferreira, tendo sido esta instituição a primeira a ser construída de raiz em Portugal no âmbito da psiquiatria. O objeto de estudo transcorreu dos cuidados assistenciais praticados pelos enfermeiros nessa
instituição nos finais do século XIX. Foi utilizada uma metodologia de investigação histórica, através da pesquisa e análise documental, utilizando-se fontes primárias e secundárias, que se encontram essencialmente nos arquivos da Casa da Prelada - Arquivo Histórico da Santa Casa da Misericórdia do Porto e da Biblioteca do Centro Hospitalar Conde de Ferreira, tendo como principal referência teórica Michel Foucault. As finalidades deste trabalho passam por dar a conhecer um âmbito de ação introdutivo ao desenvolvimento da enfermagem de saúde mental e psiquiátrica e distinguir práticas assistenciais que podem ser consideradas como uma esteira aos engenhos e perícias que hoje em dia os enfermeiros especialistas dessa área apresentam. Descrevemos contextos portugueses do século XIX, com particular ênfase na
ambiência da cidade do Porto. Apresentámos o hospital como espaço assistencial e os enfermeiros como praticantes da assistência, dando uma especial atenção às conjunturas psiquiátricas. Concluímos que os enfermeiros estiveram sempre presentes nas diferentes realidades hospitalares, conquanto a sua ação se tivesse concretizado numa origem laica. Apresentámos a evolução dos trâmites da investigação histórica, a matriz teórica para o desenvolvimento deste trabalho, assim como o seu traçado. Caraterizámos o cenário hospitalar em estudo, atendendo aos trâmites da sua inauguração e funcionamento nos finais dos anos de oitocentos, tendo em conta as perspetivas alienistas que se estabeleceram nesses espaços, assim como as normas e códigos institucionais. Apresentámos o perfil dos atores na assistência do Hospital de
Alienados do Conde de Ferreira, dando destaque aos alienados e ao corpo de funcionários das enfermarias, constituído por enfermeiros, ajudantes e criados, regulado por um fiscal. Considerámos que os cuidados assistenciais desenvolvidos pelos enfermeiros, e consequentemente as suas intervenções, foram influenciados pela evolução do conhecimento que se deu no século XIX, e que foi trazido para o seio da
enfermagem principalmente através do corpo médico que deu voz à ciência psiquiátrica. Verificámos que o Hospital apresentou uma dualidade naquilo que dizia respeito à assistência, tanto a nível clínico, como administrativo. Estabelecemos um conteúdo sumular e de transição, em que determinámos enunciados de transformação percursores da enfermagem: a integração de conhecimento científico, a identificação do sentido de pertença, a vivência da pertença, a assimilação do reconhecimento, a produção desse conhecimento, a evolução concetual e a perceção da importância do eixo temporal e a sua integração. Estes enunciados de transformação podem ajudar a definir a transição em enfermagem de um fazer-se para um conceber-se.
Data do prémio19 mai. 2022
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorLuís Sá (Supervisor) & Alexandra Patrícia Lopes Esteves (Co-Orientador)

Keywords

  • Enfermagem
  • História da enfermagem
  • Psiquiatria
  • Saúde mental

Designação

  • Doutoramento em Enfermagem

Citação

'