Reabilitação de selas livres com prótese removível
: caracterização e resolução de complicações

  • Nuno Miguel Farias Dias Ferreira (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Introdução: a reabilitação oral com prótese parcial removível assume um papel muito relevante no restabelecimento das principais funções do sistema estomatognático, em função da prevalência das desdentações parciais numa população cada vez mais envelhecida. Nesta perspetiva, torna-se importante conhecer e caracterizar as principais complicações associadas ao uso de próteses parciais removíveis, por forma a contribuir para a otimização da sua resolução. Objetivos: identificar e caracterizar as complicações existentes em próteses parciais removíveis em desdentações tipo classe I e II de Kennedy, assim como o processo de resolução das mesmas. Metodologia: este estudo é do tipo observacional longitudinal retrospectivo. Foi efetuada uma pesquisa dos pacientes reabilitados com prótese parcial removível, em desdentações tipo Classe I e II de Kennedy, na Clínica Universitária da Universidade Católica Portuguesa, desde o ano de 2011. Para tal foi utilizado o programa de gestão clínica NewSoft®, assim como os registos em papel da Área Disciplinar de Prótese Removível. Foi também solicitada a comparência dos pacientes em consultas de controlo para atualização de dados e registo de eventuais alterações da sua reabilitação protética. Após caracterização das complicações e da sua resolução, realizou-se uma análise comparativa com: género, idade, ano de colocação da PPR, localização da PPR e tipo de desdentação baseado na classificação de Kennedy. Comparou-se ainda a presença/identificação de patologia sistémica relevante para o metabolismo ósseo com a necessidade de rebasamento das selas. Os dados recolhidos foram tratados e sujeitos a análise estatística recorrendo ao programa IBM SPSS Statistics, v21.0.0 (Software Statistical Package for the Social Science). Resultados: A complicação biológica mais verificada foi a doença periodontal nos dentes pilares; por outro lado, a complicação mecânica mais incidente foi a necessidade de rebasamento das selas; no que diz respeito à análise comparativa, não se verificou uma relação significativa de dependência entre nenhuma das varáveis abordadas, isto é, em parâmetros como género, idade, ano de colocação da PPR, localização da PPR e tipo de desdentação (segundo Kennedy) não foi averiguada uma relação significativa com nenhuma das complicações protéticas abordadas. Conclusões: Segundo este estudo, não existe uma relação significativa entre género, idade, ano de colocação da PPR, localização da PPR e tipo de desdentação (segundo Kennedy) e cada uma das complicações protéticas abordadas, quer biológicas, quer mecânicas. São requeridos, portanto, novos estudos, com uma maior dimensão amostral, um maior tempo de follow-up e com intervenientes reabilitados noutras clínicas médico-dentárias universitárias e/ou privadas.
Data do prémio29 jul. 2015
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorFilipe Miguel Araújo (Supervisor) & André Correia (Co-Orientador)

Keywords

  • Saúde oral
  • Desdentações
  • Prótese parcial removível
  • Complicações
  • Consultas de controlo
  • Patologias sistémicas

Designação

  • Mestrado em Medicina Dentária

Citação

'