Roboterapia-paro em pessoas idosas com perturbação neurocognitiva

  • Rita Sofia da Silva Gomes (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Introdução: A Roboterapia-PARO tem vindo a ser reconhecida pelos seus resultados no âmbito das terapias não farmacológicas para pessoas idosas com perturbação neurocognitiva (PNC). Este estudo centra-se na avaliação da resposta da pessoa idosa com PNC major, institucionalizada, a este tipo de terapia. Métodos: Trata-se de um estudo quase experimental com avaliações nas fases pré, durante e pós intervenção que avaliou o efeito da Roboterapia-PARO em idosos com PNC major. Incluiu ainda a tradução e adaptação cultural do “Caregiver’s Manual for Robotherapy”. Dez participantes foram submetidos a sessões individuais de Roboterapia usando um dispositivo robô com o aspeto de uma foca bebé (PARO). As sessões tiveram 30 minutos de duração, duas vezes por semana, durante 8 semanas. No período pré e pós intervenção foram aplicadas, a cada participante, as escalas Global Deterioration Scale – para avaliar o grau de deterioração cognitiva, Inventário Neuropsiquiátrico – para avaliar os sintomas neuropsiquiátricos e Cornell Scale for Depression in Dementia – para avaliar os estados de depressão. Nas semanas um, três, seis e oito foi ainda efetuada vídeo-gravação das sessões para avaliação dos comportamentos. Em cada sessão foi utilizada uma grelha observacional para registo dos comportamentos. Resultados: Um total de 8 participantes completaram o estudo. Ao nível do INP verificou-se melhorias significativas (z=−2,00; p = 0,046; dcohen=1,633). O teste de classificação de Wilcoxon mostrou que as habilidades de comunicação verbal (z=−1,73; p = 0,083; dcohen=1,414), relação interpessoal (z=−1,00; p = 0,317; dcohen=0,707) e interação com a PARO (z=−1,134; p = 0,257; dcohen=0,817) obtiveram um grande tamanho de efeito , que corresponde a melhoria após as sessões de Roboterapia-PARO. Conclusões: Foram verificadas melhorias graduais ao nível da comunicação verbal, expressão facial, relação interpessoal, interação com a PARO, aumento da frequência e duração do olhar, gestos e das manifestações de humor dos participantes. A implementação das terapias não farmacológicas no plano de cuidados diários das pessoas idosas com PNC pode trazer múltiplos benefícios no controlo dos SNP.
Data do prémio19 nov 2019
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorJoão Costa Amado (Supervisor) & Rosa Silva (Co-Orientador)

Keywords

  • Roboterapia-PARO
  • Terapias não farmacológicas
  • Perturbação neurocognitiva
  • Sintomas neuropsiquiátricos
  • Pessoa idosa
  • Demência

Designação

  • Mestrado em Gerontologia e Cuidado Geriátrico

Citação

'