Transição para o papel de membro da família prestador de cuidados da pessoa com deficiência mental profunda

  • Maria Inês Pinto Caçoilo (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

As pessoas com deficiência mental profunda para além do Quociente de Inteligência abaixo da média e da incapacidade significativa de adaptação à sociedade têm associada uma dependência elevada para o autocuidado, necessitando de cuidados de substituição e sustentação ao longo da vida, o que implica a presença contínua de um prestador de cuidados. A existência de necessidades muito particulares que carecem de respostas obrigatoriamente individualizadas e pormenorizadas condiciona a transição para o papel de Membro da Família Prestador de Cuidados, observada como um processo complexo mas sensível ao conhecimento disciplinar, potencialmente útil para melhorar os cuidados prestados e diminuir o impacto e as dificuldades sentidas. Assim, a atuação profissional de enfermagem abrange a preparação e o empowerment do membro da família prestador de cuidados no seu papel, dando resposta às necessidades humanas quer da pessoa com deficiência mental como do seu cuidador. Com este fundamento, foi elaborado um estudo de natureza qualitativa com método assente na Grounded Theory com o objetivo de compreender o fenómeno e descrever o processo de transição dos familiares adaptados ao papel de cuidadores da pessoa com deficiência mental profunda, bem como identificar o potencial para a implementação de terapêuticas de enfermagem. Optou-se por selecionar participantes com filhos adultos, para que num processo retrospetivo, pudessem descrever a transição vivida. Foi selecionado como primeiro participante um enfermeiro, para identificar a influência do conhecimento de enfermagem na adaptação ao papel e na prestação de cuidados. Os restantes participantes foram sendo selecionados quer para reforçar como para aumentar os dados obtidos. O estudo evidencia que surge um impacto no cuidador perante a tomada de conhecimento da deficiência mental do seu familiar. Este começa a trabalhar a nova realidade, de onde surge um conjunto de eventos críticos que são ultrapassados através de estratégias adotadas ou desenvolvidas pelo Membro da Família Prestador de Cuidados. Identificam-se fatores facilitadores e fatores inibidores da transição. Com o decorrer da mesma, surgem indicadores de processo. Os indicadores de resultado, centrados na mestria do cuidar, traduzem-se em alterações pessoais e num processo familiar efetivo. Verificou-se que os participantes com conhecimento de enfermagem apresentam um maior conjunto de estratégias e de fatores facilitadores relativamente aos restantes.
Data do prémio2015
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorLuís Sá (Supervisor) & Armando Manuel Gonçalves de Almeida (Supervisor)

Keywords

  • Cuidador
  • Deficiência mental
  • Transição

Designação

  • Mestrado em Enfermagem

Citação

'