Visão, velocidade, vertigem e violência
: a mobilização total para a vitória final como essência do regime totalitário

Tese do aluno

Resumo

Durante mais de três quartos de século, conforme começamos por evidenciar, subscritores e críticos da perspectiva politológica do totalitarismo, sob um véu superficial de dissensão ou distanciamento, nunca deixaram de veicular o mesmíssimo argumento analítico sobre as motivações, dinâmicas, resultados e horizontes que definiriam um regime totalitário – um tipo de regime, pretende tal argumento, fadado à auto-destruição. Aprimorando e aplicando metodologia de investigação histórico-comparativa aos casos do Estalinismo e do Nazismo, demonstramos como o argumento supracitado, no grosso e na nata, carece de fundamentação histórico-empírica; e descobrimos um argumento alternativo, tão fundamentado quanto refrescante, passível de contribuir para revitalizar uma tradição de estudos, no que há de mais essencial, há muito estagnada.
Data do prémio16 dez 2019
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorMiguel Morgado (Supervisor)

Designação

  • Doutoramento em Ciência Política e Relações Internacionais: Segurança e Defesa

Citação

'