Vivência psicológica da gravidez após sucesso das técnicas da procriação medicamente assistida

  • Teresa Pinto Bernardo Moura da Rocha (Aluno)

Tese do aluno

Resumo

Este estudo teve como objetivo geral conhecer as características da vivência da gravidez, nos homens e nas mulheres, após sucesso das técnicas de procriação medicamente assistida (PMA), nomeadamente quanto à relação conjugal, psicopatologia e dimensões da vivência psicológica da gravidez. A amostra deste estudo é constituída por 22 casais, apresentado um total de 44 indivíduos, com idades compreendidas entre os 30 e os 47 anos. Os instrumentos utilizados na recolha dos dados foram a Escala de Atitudes sobre a Gravidez e a Maternidade, a Escala de Atitudes sobre a Gravidez e a Paternidade, a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão e a Escala Revista de Ajustamento Diádico. Os resultados obtidos sugerem que existem diferenças significativas relativamente às atitudes sobre a gravidez e maternidade/paternidade das mulheres e dos homens que recorreram à PMA com as da amostra padrão. Os resultados dos dois últimos instrumentos indicam que não há diferenças significativas entre os géneros da amostra do estudo relativamente aos níveis de ansiedade, depressão e ajustamento diádico. Apesar disso foi possível verificar a existência de ansiedade em 27.3% das mulheres e em 9.1% dos homens. Relativamente à depressão não se verificou a sua existência em nenhum dos indivíduos da amostra do estudo.
Data do prémio2015
Idioma originalPortuguese
Instituição de premiação
  • Universidade Católica Portuguesa
SupervisorMaria Raul Xavier (Supervisor)

Keywords

  • Infertilidade
  • Gravidez
  • Procriação medicamente assistida
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Relação conjugal

Designação

  • Mestrado em Psicologia

Citação

'